Arquivos do Blog

Presidente Dilma recebe ator de “Minha mãe é uma peça”

Filipe Matoso

A presidente Dilma com o ator Paulo Gustavo/ foto: Roberto Stuckert Filho - PR

A presidente Dilma com o ator Paulo Gustavo/ foto: Roberto Stuckert Filho – PR

A presidente Dilma Rousseff recebeu o ator Paulo Gustavo, protagonista do filme “Minha mãe é uma peça”, durante a manhã desta segunda-feira (21) no Palácio do Planalto.

Durante o encontro, ele ligou para a mãe e a colocou para falar por telefone com a presidente. No telefonema, Dilma disse a ela que ele é um grande ator e que é talentoso.

Segundo o Planalto, a presidente Dilma já assistiu ao filme. Ao sair, ele gravou um vídeo para o “Blog do Planalto”.

Até a próxima!

Anúncios

Presidente Dilma anuncia proteção a mensagens oficiais do governo

Filipe Matoso

A presidente Dilma Rousseff anunciou no microblog twitter neste domingo (13) que determinou ao Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) a implantação de um sistema seguro de e-mails em todo o governo federal.

“Esta é 1ª medida p/ ampliar privacidade e inviolabilidade de mensagens oficiais”, publicou a presidente. Ela afirmou que “é preciso + segurança nas mensagens p/ prevenir possível espionagem”.

Dilma disse em entrevista exibida pelo SBT nesta semana que esperava um pedido de desculpas do presidente dos EUA, Barack Obama, mas isso não ocorreu. “A gente não vai admitir esse tipo de atitude (espionagem). É uma questão de soberania, de direitos humanos, de direitos das empresas”.

Até a próxima!

Dilma vence no primeiro turno se disputar com Aécio e Campos, diz Datafolha

Filipe Matoso

A pesquisa Datafolha publicada neste sábado (12) pelo jornal “Folha de S. Paulo” mostra que a presidente Dilma Rousseff seria eleita em primeiro turno nas eleições de 2014, num cenário de disputa com Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Nesse cenário, Dilma teria 42% das intenções de voto, Aécio aparece com 21% e Campos, com 15%. Brancos, nulos ou nenhum somam 16%. Outros 7% não sabem em quem votar.

No total, quatro cenários para a eleição presidencial de 2014 foram simulados pelo Datafolha. Neles, Campos é substituído por Marina Silva e Aécio, por José Serra. Na simulação do instituto em que a disputa aparece mais apertada, a presidente ficaria com 37% das intenções de voto, Marina com 28% e Serra alcançaria 20%.

Rejeição

O Datafolha também pesquisou os índices de rejeição para a disputa do ano que vem. José Serra (PSDB) aparece em primeiro lugar, com 36%. Dilma fica em segundo lugar, com 27%, Eduardo Campos aparece em terceiro, com 25%, Aécio é o quarto (24%) e Marina é quem tem o menor índice de rejeição (17%).

Até a próxima! 

Presidente Dilma reage após novas denúncias de espionagem

Filipe Matoso

Após as denúncias do Fantástico (TV Globo) de que o Ministério de Minas e Energia também teria sido alvo de denúncias, a presidente Dilma Rousseff determinou nesta segunda-feira (7) ao Itamaraty que cobre explicações do Canadá.

“A reportagem aponta para interesses canadenses na área de mineração. O Itamaraty vai exigir explicações do Canadá”, publicou a presidente no microblog Twitter. Os documentos foram vazados por Edward Snowden ao jornalista Glenn Greenwald.

A presidente falou ainda sobre os motivos para a espionagem. “A denuncia de que Ministério Minas e Energia foi alvo de espionagem confirma as razões econômicas e estratégicas por trás de tais atos (…) Embora o Ministério tenha bom sistema proteção d dados, determinei ao min Lobão rigorosa avaliação e reforço da segurança desses sistemas”.

E completou. “É urgente q os EUA e seus aliados encerrem suas ações de espionagem de uma vez por todas. Isso é inadmissível entre países que pretendem ser parceiros. Repudiamos a guerra cibernética”.

Em nota, o Itamaraty informou que o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, se reuniu com o embaixador do Canadá em Brasília para “transmitir a indignação do governo brasileiro” e “requerer explicações”.

“Durante o encontro, o Chanceler brasileiro manifestou ao Embaixador canadense o repúdio do Governo a essa grave e inaceitável violação da soberania nacional e dos direitos de pessoas e de empresas”, informou a nota.

Até a próxima!

Ministro Fernando Bezerra entrega cargo a Dilma

Filipe Matoso

Fernando Bezerra se reuniu nesta terça-feira (1º) de manhã com a presidente Dilma Rousseff por cerca de uma hora e entregou o cargo. A orientação para que ele deixasse o Ministério da Integração Nacional foi do PSB, que decidiu sair do governo federal.

Eduardo Campos, governador de Pernambuco e presidente do partido, é pré-candidato à Presidência da República.

Hoje, no microblog Twitter, Bezerra comentou a saída. “Acabo de sair de uma boa e agradável conversa com a pres Dilma. Agradeci a oportunidade de servir ao meu país, como ministro @br_integracao (perfil do ministério no microblog)”.

Até a próxima!

Presidente Dilma faz pronunciamento sobre manifestações pelo país

Filipe Matoso

A presidente Dilma Rousseff fez um pronunciamento oficial nesta sexta-feira (21) sobre as manifestações que têm ocorrido em todo o país.

“Minhas amigas e meus amigos,

Todos nós, brasileiras e brasileiros, estamos acompanhando, com muita atenção, as manifestações que ocorrem no país. Elas mostram a força de nossa democracia e o desejo da juventude de fazer o Brasil avançar.

Se aproveitarmos bem o impulso desta nova energia política, poderemos fazer, melhor e mais rápido, muita coisa que o Brasil ainda não conseguiu realizar por causa de limitações políticas e econômicas. Mas, se deixarmos que a violência nos faça perder o rumo, estaremos não apenas desperdiçando uma grande oportunidade histórica, como também correndo o risco de colocar muita coisa a perder.

Como presidenta, eu tenho a obrigação tanto de ouvir a voz das ruas, como dialogar com todos os segmentos, mas tudo dentro dos primados da lei e da ordem, indispensáveis para a democracia.

O Brasil lutou muito para se tornar um país democrático. E também está lutando muito para se tornar um país mais justo. Não foi fácil chegar onde chegamos, como também não é fácil chegar onde desejam muitos dos que foram às ruas. Só tornaremos isso realidade se fortalecermos a democracia – o poder cidadão e os poderes da República.

Os manifestantes têm o direito e a liberdade de questionar e criticar tudo, de propor e exigir mudanças, de lutar por mais qualidade de vida, de defender com paixão suas ideias e propostas, mas precisam fazer isso de forma pacífica e ordeira.

O governo e a sociedade não podem aceitar que uma minoria violenta e autoritária destrua o patrimônio público e privado, ataque templos, incendeie carros, apedreje ônibus e tente levar o caos aos nossos principais centros urbanos. Essa violência, promovida por uma pequena minoria, não pode manchar um movimento pacífico e democrático. Não podemos conviver com essa violência que envergonha o Brasil. Todas as instituições e os órgãos da Segurança Pública têm o dever de coibir, dentro dos limites da lei, toda forma de violência e vandalismo.

Com equilíbrio e serenidade, porém, com firmeza, vamos continuar garantindo o direito e a liberdade de todos. Asseguro a vocês: vamos manter a ordem.

Brasileiras e brasileiros,

As manifestações dessa semana trouxeram importantes lições: as tarifas baixaram e as pautas dos manifestantes ganharam prioridade nacional. Temos que aproveitar o vigor destas manifestações para produzir mais mudanças, mudanças que beneficiem o conjunto da população brasileira.

A minha geração lutou muito para que a voz das ruas fosse ouvida. Muitos foram perseguidos, torturados e morreram por isso. A voz das ruas precisa ser ouvida e respeitada, e ela não pode ser confundida com o barulho e a truculência de alguns arruaceiros.

Sou a presidenta de todos os brasileiros, dos que se manifestam e dos que não se manifestam. A mensagem direta das ruas é pacífica e democrática.

Ela reivindica um combate sistemático à corrupção e ao desvio de recursos públicos. Todos me conhecem. Disso eu não abro mão.

Esta mensagem exige serviços públicos de mais qualidade. Ela quer escolas de qualidade; ela quer atendimento de saúde de qualidade; ela quer um transporte público melhor e a preço justo; ela quer mais segurança. Ela quer mais. E para dar mais, as instituições e os governos devem mudar.

Irei conversar, nos próximos dias, com os chefes dos outros poderes para somarmos esforços. Vou convidar os governadores e os prefeitos das principais cidades do país para um grande pacto em torno da melhoria dos serviços públicos.

O foco será: primeiro, a elaboração do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, que privilegie o transporte coletivo. Segundo, a destinação de cem por cento dos recursos do petróleo para a educação. Terceiro, trazer de imediato milhares de médicos do exterior para ampliar o atendimento do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Anuncio que vou receber os líderes das manifestações pacíficas, os representantes das organizações de jovens, das entidades sindicais, dos movimentos de trabalhadores, das associações populares. Precisamos de suas contribuições, reflexões e experiências, de sua energia e criatividade, de sua aposta no futuro e de sua capacidade de questionar erros do passado e do presente.

Brasileiras e brasileiros,

Precisamos oxigenar o nosso sistema político. Encontrar mecanismos que tornem nossas instituições mais transparentes, mais resistentes aos malfeitos e, acima de tudo, mais permeáveis à influência da sociedade. É a cidadania, e não o poder econômico, quem deve ser ouvido em primeiro lugar.

Quero contribuir para a construção de uma ampla e profunda reforma política, que amplie a participação popular. É um equívoco achar que qualquer país possa prescindir de partidos e, sobretudo, do voto popular, base de qualquer processo democrático. Temos de fazer um esforço para que o cidadão tenha mecanismos de controle mais abrangentes sobre os seus representantes.

Precisamos muito, mas muito mesmo, de formas mais eficazes de combate à corrupção. A Lei de Acesso à Informação, sancionada no meu governo, deve ser ampliada para todos os poderes da República e instâncias federativas. Ela é um poderoso instrumento do cidadão para fiscalizar o uso correto do dinheiro público. Aliás, a melhor forma de combater a corrupção é com transparência e rigor.

Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal, gasto com as arenas é fruto de financiamento que será devidamente pago pelas empresas e os governos que estão explorando estes estádios. Jamais permitiria que esses recursos saíssem do orçamento público federal, prejudicando setores prioritários como a Saúde e a Educação.

Na realidade, nós ampliamos bastante os gastos com Saúde e Educação, e vamos ampliar cada vez mais. Confio que o Congresso Nacional aprovará o projeto que apresentei para que todos os royalties do petróleo sejam gastos exclusivamente com a Educação.

Não posso deixar de mencionar um tema muito importante, que tem a ver com a nossa alma e o nosso jeito de ser. O Brasil, único país que participou de todas as Copas, cinco vezes campeão mundial, sempre foi muito bem recebido em toda parte. Precisamos dar aos nossos povos irmãos a mesma acolhida generosa que recebemos deles. Respeito, carinho e alegria, é assim que devemos tratar os nossos hóspedes. O futebol e o esporte são símbolos de paz e convivência pacífica entre os povos. O Brasil merece e vai fazer uma grande Copa.

Minhas amigas e meus amigos,

Eu quero repetir que o meu governo está ouvindo as vozes democráticas que pedem mudança. Eu quero dizer a vocês que foram pacificamente às ruas: eu estou ouvindo vocês! E não vou transigir com a violência e a arruaça.

Será sempre em paz, com liberdade e democracia que vamos continuar construindo juntos este nosso grande país.

Boa noite!”

Até a próxima!

Presidente Dilma anuncia R$ 21 bilhões para agricultura familiar

Filipe Matoso

A presidente Dilma Rousseff  confirmou nesta quinta-feira (6) que o governo federal vai disponibilizar R$ 21 bilhões em crédito para a produção de pequenos agricultores por meio do Pronaf.

O crédito é 1,66% superior ao anunciado no ano passado para a safra 2012/2013, quando foram oferecidos R$ 18 bilhões para a agricultura familiar.

Até a próxima!

Presidente Dilma sanciona Lei dos Portos com vetos

Agência Brasil

MP deve modernizar infraestrutura portuária brasileira/ foto: José Gomercindo-ABr

MP deve modernizar infraestrutura portuária brasileira/ foto: José Gomercindo-ABr

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta quarta-feira (5) a Lei dos Portos com alguns vetos ao texto aprovado pelo Congresso Nacional em maio. Eles reúnem 13 pontos e os principais referem-se a dispositivos que tratavam da renovação e prorrogação de concessões de portos e da garantia de concorrência.

“Os vetos foram feitos para garantir o objetivo principal da lei, que é garantir a abertura e a competitividade do setor e afastar qualquer insegurança jurídica”, disse a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Leia o resto deste post

Ministro diz ter cometido um “equívoco” ao dizer que Dilma censurou José Cardozo

Filipe Matoso

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, divulgou uma nota nesta quarta-feira (5) declarando ter comedito um “equívoco” na terça (4) ao dizer em uma reunião que “a presidenta Dilma Rousseff havia censurado o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, por ter cumprido ordem judicial de primeira instância em processo de reintegração de posse ocorrida no Mato Grosso do Sul”.

“O Ministro afirma que tentava demonstrar a dor da presidenta Dilma com a morte de um indígena ocorrida naquela ocasião e a insistência dela na utilização do método da negociação e do diálogo na resolução de conflitos. Mas o Ministro reconhece que em nenhum momento a Presidenta fez críticas ao ministro Cardozo pelo fato de a Polícia Federal estar cumprindo ordem judicial. O próprio ministro Gilberto Carvalho, em coletiva que se seguiu à reunião, fez uma correção dessa afirmação”, diz a nota publicada pela assessoria do ministro.

Até a próxima!

Presidente Dilma lança Plano Agrícola em Brasília

Filipe Matoso

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira (4) que o Plano Agrícola 2013/2014 em R$ 136 bilhões. O valor está dividido em R$ 97,6 bilhões para financiamentos de custeio e comercialização e R$ 38,4 bilhões para os programas de investimento.

O plano libera R$ 25 bilhões para a construção de armazéns privados nos próximos cinco anos, com prazo de pagamento de 15 anos. Outros R$ 500 milhões serão gastos para modernizar e dobrar a capacidade de armazenagem da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O Programa de Sustentação de Investimento, voltado para o financiamento de máquinas e equipamentos agrícolas, segundo o Planalto, terá R$ 6 bilhões, e a agricultura irrigada, R$ 400 milhões.

“Na semana passada, quando o IBGE divulgou os resultados do PIB no primeiro trimestre de 2013, mais uma vez os números da agropecuária impressionaram. A agropecuária cresceu 17% em relação ao primeiro trimestre de 2012, e 9,7% em relação ao quarto trimestre do ano passado. Eu não tenho dúvidas que a agricultura, neste ano de 2013, terá um crescimento excepcional, com grande aumento de produtividade”, afirmou a presidente Dilma.

Em nota, o Palácio do Planalto informou que o valor disponibilizado para o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) vai ser de R$ 13,2 bilhões, 18,4% superior ao do ano passado. “E os limites de empréstimo para custeio passaram de R$ 500 mil para R$ 600 mil, enquanto os de investimento subiram de R$ 300 mil para R$ 350 mil. E o Programa Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC), que financia tecnologias com menor impacto ambiental, teve seus recursos aumentados de R$ 3,4 bilhões para R$ 4,5 bilhões”, diz a nota.

Até a próxima!