Arquivos do Blog

Presidente Dilma recebe ator de “Minha mãe é uma peça”

Filipe Matoso

A presidente Dilma com o ator Paulo Gustavo/ foto: Roberto Stuckert Filho - PR

A presidente Dilma com o ator Paulo Gustavo/ foto: Roberto Stuckert Filho – PR

A presidente Dilma Rousseff recebeu o ator Paulo Gustavo, protagonista do filme “Minha mãe é uma peça”, durante a manhã desta segunda-feira (21) no Palácio do Planalto.

Durante o encontro, ele ligou para a mãe e a colocou para falar por telefone com a presidente. No telefonema, Dilma disse a ela que ele é um grande ator e que é talentoso.

Segundo o Planalto, a presidente Dilma já assistiu ao filme. Ao sair, ele gravou um vídeo para o “Blog do Planalto”.

Até a próxima!

Anúncios

Presidente Dilma faz pronunciamento sobre manifestações pelo país

Filipe Matoso

A presidente Dilma Rousseff fez um pronunciamento oficial nesta sexta-feira (21) sobre as manifestações que têm ocorrido em todo o país.

“Minhas amigas e meus amigos,

Todos nós, brasileiras e brasileiros, estamos acompanhando, com muita atenção, as manifestações que ocorrem no país. Elas mostram a força de nossa democracia e o desejo da juventude de fazer o Brasil avançar.

Se aproveitarmos bem o impulso desta nova energia política, poderemos fazer, melhor e mais rápido, muita coisa que o Brasil ainda não conseguiu realizar por causa de limitações políticas e econômicas. Mas, se deixarmos que a violência nos faça perder o rumo, estaremos não apenas desperdiçando uma grande oportunidade histórica, como também correndo o risco de colocar muita coisa a perder.

Como presidenta, eu tenho a obrigação tanto de ouvir a voz das ruas, como dialogar com todos os segmentos, mas tudo dentro dos primados da lei e da ordem, indispensáveis para a democracia.

O Brasil lutou muito para se tornar um país democrático. E também está lutando muito para se tornar um país mais justo. Não foi fácil chegar onde chegamos, como também não é fácil chegar onde desejam muitos dos que foram às ruas. Só tornaremos isso realidade se fortalecermos a democracia – o poder cidadão e os poderes da República.

Os manifestantes têm o direito e a liberdade de questionar e criticar tudo, de propor e exigir mudanças, de lutar por mais qualidade de vida, de defender com paixão suas ideias e propostas, mas precisam fazer isso de forma pacífica e ordeira.

O governo e a sociedade não podem aceitar que uma minoria violenta e autoritária destrua o patrimônio público e privado, ataque templos, incendeie carros, apedreje ônibus e tente levar o caos aos nossos principais centros urbanos. Essa violência, promovida por uma pequena minoria, não pode manchar um movimento pacífico e democrático. Não podemos conviver com essa violência que envergonha o Brasil. Todas as instituições e os órgãos da Segurança Pública têm o dever de coibir, dentro dos limites da lei, toda forma de violência e vandalismo.

Com equilíbrio e serenidade, porém, com firmeza, vamos continuar garantindo o direito e a liberdade de todos. Asseguro a vocês: vamos manter a ordem.

Brasileiras e brasileiros,

As manifestações dessa semana trouxeram importantes lições: as tarifas baixaram e as pautas dos manifestantes ganharam prioridade nacional. Temos que aproveitar o vigor destas manifestações para produzir mais mudanças, mudanças que beneficiem o conjunto da população brasileira.

A minha geração lutou muito para que a voz das ruas fosse ouvida. Muitos foram perseguidos, torturados e morreram por isso. A voz das ruas precisa ser ouvida e respeitada, e ela não pode ser confundida com o barulho e a truculência de alguns arruaceiros.

Sou a presidenta de todos os brasileiros, dos que se manifestam e dos que não se manifestam. A mensagem direta das ruas é pacífica e democrática.

Ela reivindica um combate sistemático à corrupção e ao desvio de recursos públicos. Todos me conhecem. Disso eu não abro mão.

Esta mensagem exige serviços públicos de mais qualidade. Ela quer escolas de qualidade; ela quer atendimento de saúde de qualidade; ela quer um transporte público melhor e a preço justo; ela quer mais segurança. Ela quer mais. E para dar mais, as instituições e os governos devem mudar.

Irei conversar, nos próximos dias, com os chefes dos outros poderes para somarmos esforços. Vou convidar os governadores e os prefeitos das principais cidades do país para um grande pacto em torno da melhoria dos serviços públicos.

O foco será: primeiro, a elaboração do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, que privilegie o transporte coletivo. Segundo, a destinação de cem por cento dos recursos do petróleo para a educação. Terceiro, trazer de imediato milhares de médicos do exterior para ampliar o atendimento do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Anuncio que vou receber os líderes das manifestações pacíficas, os representantes das organizações de jovens, das entidades sindicais, dos movimentos de trabalhadores, das associações populares. Precisamos de suas contribuições, reflexões e experiências, de sua energia e criatividade, de sua aposta no futuro e de sua capacidade de questionar erros do passado e do presente.

Brasileiras e brasileiros,

Precisamos oxigenar o nosso sistema político. Encontrar mecanismos que tornem nossas instituições mais transparentes, mais resistentes aos malfeitos e, acima de tudo, mais permeáveis à influência da sociedade. É a cidadania, e não o poder econômico, quem deve ser ouvido em primeiro lugar.

Quero contribuir para a construção de uma ampla e profunda reforma política, que amplie a participação popular. É um equívoco achar que qualquer país possa prescindir de partidos e, sobretudo, do voto popular, base de qualquer processo democrático. Temos de fazer um esforço para que o cidadão tenha mecanismos de controle mais abrangentes sobre os seus representantes.

Precisamos muito, mas muito mesmo, de formas mais eficazes de combate à corrupção. A Lei de Acesso à Informação, sancionada no meu governo, deve ser ampliada para todos os poderes da República e instâncias federativas. Ela é um poderoso instrumento do cidadão para fiscalizar o uso correto do dinheiro público. Aliás, a melhor forma de combater a corrupção é com transparência e rigor.

Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal, gasto com as arenas é fruto de financiamento que será devidamente pago pelas empresas e os governos que estão explorando estes estádios. Jamais permitiria que esses recursos saíssem do orçamento público federal, prejudicando setores prioritários como a Saúde e a Educação.

Na realidade, nós ampliamos bastante os gastos com Saúde e Educação, e vamos ampliar cada vez mais. Confio que o Congresso Nacional aprovará o projeto que apresentei para que todos os royalties do petróleo sejam gastos exclusivamente com a Educação.

Não posso deixar de mencionar um tema muito importante, que tem a ver com a nossa alma e o nosso jeito de ser. O Brasil, único país que participou de todas as Copas, cinco vezes campeão mundial, sempre foi muito bem recebido em toda parte. Precisamos dar aos nossos povos irmãos a mesma acolhida generosa que recebemos deles. Respeito, carinho e alegria, é assim que devemos tratar os nossos hóspedes. O futebol e o esporte são símbolos de paz e convivência pacífica entre os povos. O Brasil merece e vai fazer uma grande Copa.

Minhas amigas e meus amigos,

Eu quero repetir que o meu governo está ouvindo as vozes democráticas que pedem mudança. Eu quero dizer a vocês que foram pacificamente às ruas: eu estou ouvindo vocês! E não vou transigir com a violência e a arruaça.

Será sempre em paz, com liberdade e democracia que vamos continuar construindo juntos este nosso grande país.

Boa noite!”

Até a próxima!

Três milhões de microempreendedores no país

Filipe Matoso

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (6) que o Programa do Microempreendedor Individual (MEI) deve chegar a 3 milhões de empreendedores nos próximos dias, com a geração de 120 mil empregos em pequenos negócios.

“Essas pessoas deixaram de ser trabalhadores informais, muitos também deixaram o seu emprego para se legalizarem e se tornarem microempreendedores. Outra vantagem é que o microempreendedor não precisa trabalhar sozinho. Um mecânico, uma manicure ou uma doceira, por exemplo, eles podem contratar um ajudante. Então, além de melhorar a sua própria renda, os microempreendedores estão contribuindo também para gerar empregos no país”, afirmou Dilma no programa Café com a Presidenta.

Até a próxima!

Haddad se encontra com presidente Dilma em Brasília

Filipe Matoso

Haddad e Dilma/ foto: Roberto Stuckert Flho - PR

Haddad e Dilma/ foto: Roberto Stuckert Flho – PR

O prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), se encontrou nesta segunda-feira (29) com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, em Brasília.

Ele afirmou que o encontrou serviu para, além de agradecer o apoio da presidente, estabelecer uma rotina de trabalho. O prefeito eleito ressaltou a importância de se criar um grupo de trabalho o quanto antes para iniciar a discussão sobre as parcerias que foram anunciadas no plano de governo apresentado durante a campanha,.

Até a próxima!

Base de Dilma divulga nota em apoio a Lula

Filipe Matoso

Lula ao lado de Patrus Ananias, candidato do PT à Prefeitura de Belo Horizonte/ foto: Ricardo Stuckert - Instituto Lula

Lula ao lado de Patrus Ananias, candidato do PT à Prefeitura de Belo Horizonte/ foto: Ricardo Stuckert – Instituto Lula

Partidos da base aliada ao governo Dilma divulgaram uma nota nesta quinta-feira (20) contra a oposição, que deve pedir uma investigação do ex-presidente Lula, em função de denúncias publicadas pela revista “Veja” no último fim de semana.

“Tentaram comprometer a honra e a dignidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Valendo-se de fantasiosa matéria veiculada pela Revista Veja, pretendem transformar em verdade o amontoado de invencionices colecionado a partir de fontes sem identificação”, diz a nota.

Aliados do governo dizem que a oposição recorre a práticas “golpistas”. “As forças conservadoras revelam-se dispostas a qualquer aventura. Não hesitam em recorrer a práticas golpistas, à calúnia e à difamação, à denúncia sem prova”.

Os partidos da base alegam, ainda, que a atitude é um “ato de desespero” e uma tentativa de “confundir a opinião pública”.

Os presidentes dos partidos ainda falam sobre o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF). “Quando pressionam a mais alta Corte do País, o STF, estão preocupados em fazer da ação penal 470 um julgamento político, para golpear a democracia e reverter as conquistas que marcaram a gestão do presidente Lula”.

Essa briga ainda deve ir longe.

Confira a íntegra da nota

Até a próxima!

Lula e Dilma participam de lançamento do filme ‘Pela primeira vez’

Filipe Matoso

O ex-presidente Lula e a presidenta Dilma Rousseff participaram nesta quarta-feira (25) do lançamento do filme “Pela Primeira vez” em Brasília. Gravado em 3D e dirigido por Ricardo Stuckert, o filmr mostra os bastidores da posse de Dilma na Presidência.

Além de gravações até então desconhecidas de Lula no hospital com o ex-presidente José de Alencar, que morreu no ano passado em decorrência de um câncer, o documentário apresenta fatos inéditos da transmissão de cargo em 1º de janeiro do ano passado.

Lula e Dilma juntos durante o lançamento do documetário/ foto: José Cruz - ABr

Até a próxima!

Documentário sobre posse de Dilma será lançado dia 25 em Brasília

Ex-presidente Lula deve comparecer ao evento

Filipe Matoso

O documentário “Pela primeira vez”, dirigido pelo fotógrafo Ricardo Stuckert, será lançado no dia 25 deste mês no Museu da República, em Brasília. De acordo com o Instituto Lula, o filme registra os bastidores da posse de Dilma Rousseff, que aconteceu em 1º de janeiro do ano passado.

Segundo interlocutores, “é possível” que o ex-presidente Lula compareça ao evento para prestigiar o atual fotógrafo com quem trabalha, além da presidenta. Porém, o instituto informou que ainda não é possível confirmar a vinda dele a Brasília.

A assessoria de Dilma também informou que apenas em uma data próxima ao lançamento do documentário será possível confirmar a ida da presidenta.

“Ele [Lula] sugeriu a criação de uma turma para fazer uma espécie de agradecimento a todo mundo que fez corrente de oração, pela fé que as pessoas apresentaram. É o velho Lula voltando. Ele disse que o ideal é começar por onde ele conhece todo mundo, no caso, Brasília”, disse o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA), ao “Correio Braziliense“.

Lula e Ronaldo em encontro no começo da tarde desta quinta-feira (5) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo/ foto: Ricardo Stuckert

Até a próxima!

Eleitora é multada pelo TSE por “propaganda antecipada”

Para a Justiça, adesivo em carro pode ser atitude ilegal

Filipe Matoso

A eleitora sergipana Adma Fonseca de Almeida foi condenada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por “propaganda antecipada em favor de Dilma”. A pena aplicada a ela foi estipulada pela Justiça e ela terá de pagar R$ 5 mil.

De acordo com o tribunal, o Ministério Público Eleitoral (MPE) denunciou Adma por ter no carro um adesivo com a frase “Agora é Dilma”, seguido do símbolo do PT.

O Artigo 36 da Lei das Eleições estabelece que propaganda eleitoral só pode ser feita a partir de 6 de julho do ano em que ocorrerão as eleições. O descumprimento da regra, informa o TSE,  sujeita o autor da propaganda e o beneficiário – candidato -, quando comprovado prévio conhecimento, ao pagamento de multa que varia de R$ 5 mil a R$ 25 mil.

Por cinco votos a dois, os ministros decidiram que Adma desrespeitou o artigo.

Em nota publicada no site oficial, o tribunal informou que o relator do caso, ministro Marcelo Ribeiro, afirmou que “a legislação é clara ao proibir a propaganda eleitoral antes de 6 de julho do ano do pleito e que, no caso, os dizeres do adesivo do carro da eleitora evidenciam a intenção da promover uma pré-candidata [Dilma] junto a eleitores antes do período autorizado pela legislação”.

Ministros do TSE reunidos para discutir o assunto/ foto: Divulgação

Bem, já que a decisão foi tomada com base na interpretação dos ministros, podemos fazer a nossa. Quem pode fazer propaganda para candidatos? Na minha opinião, apenas os partidos, pessoas envolvidas na campanha e o próprio candidato.

Não acredito que um eleitor seja capaz de fazer propaganda. A pessoa que vota em um determinado candidato tem todo o direito de enfeitar o carro da maneira que achar melhor. Em momento algum, o TSE publica na nota a informação de que Adma esteja envolvida oficialmente na campanha de Dilma.

Nesta linha, o ministro Dias Toffoli, segundo o TSE, afirmou que entende que “para configurar propaganda antecipada é necessário o pedido de voto. O adesivo não pede voto nem menciona eleição alguma”.

Então, há motivos multá-la?

O TSE proibiu manifestações relacionadas às eleições municipais, que acontecem em outubro, por parte de políticos, partidos e pessoas envolvidas nas campanhas no microblog Twitter antes de julho. Porém, os eleitores poderão se expressar de forma livre.

Quer dizer, no Twitter, tudo bem. No carro, não.

Até a próxima!

Dilma vai a São Bernardo e se encontra com ex-presidente Lula

Visita aconteceu na cidade onde mora o petista, em São Paulo

Filipe Matoso

A presidenta Dilma Rousseff se encontrou nesta quinta-feira (1º) com o ex-presidente Lula e com a ex-primeira-dama, Marisa Letícia, em São Bernardo do Campo (SP). A visita, de acordo com o Instituto Cidadania, começou às 15h40 e terminou por volta das 19h. O ex-presidente está em recuperação, após ter passado por um tratamento contra um câncer na laringe.

Ainda segundo o instituto, o ex-presidente não tem data para voltar a despachar. No entanto, como informou a colunista Cristiana Lôbo (Globo News), o Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou uma nota na quarta-feira (29) e informou que Lula deve voltar em 15 de março.

De acordo com o “G1 Política”, o encontro com o ex-presidente não constava da agenda oficial de Dilma. Ela deixou Brasília no início da tarde, depois de uma reunião com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e o ministro das Relações Exteriores do Peru, Rafael Roncagliolo Orbegoso.

Lula, Dilma e Marisa em São Bernardo nesta quinta-feira/ foto: Ricardo Stuckert

Até a próxima!

Dilma supera antecessores e tem maior aprovação no primeiro ano de governo

Pesquisa foi divulgada e até Lula alcançou índices menores que o da presidenta

Filipe Matoso

Uma pesquisa divulgada pelo instituto Datafolha e publicada neste domingo (22) no jornal Folha de S. Paulo mostrou que a aprovação do Governo Dilma entre os brasileiros está em 59%. Este índice representa os cidadãos que veem a gestão da petista como ótima ou boa.  Enquanto isso, 33% acreditam que é regular e 6% a avaliam como ruim ou péssima. A pesquisa revelou que desde que voltaram as eleições diretas, a presidenta obteve os melhores resultados em um primeiro ano de governo.

Dilma superou Lula na avaliação/ foto retirada do site Vida e Palavra

Para se ter ideia, publica o G1 Política, ao fim de 2003 Lula tinha 42% de aprovação. No primeiro ano de segundo mandato, em 2007, o ex-metalúrgico alcançou 50%. Os antecessores Fernando Collor e Itamar Franco tiveram 23% e 12%, respectivamente. Já Fernando Henrique Cardoso conquistou 41% no primeiro mandato e, vejam só, 16% no segundo.

A pesquisa ouviu 2.575 pessoas na quarta-feira (18) e na quinta (19) passadas.

Bem, conversava com repórteres que acompanham a Política em Brasília de perto e eles também avaliaram o governo de forma positiva. Para estes jornalistas, a forma de lidar com a corrupção e a nomeação de técnicos para cargos importantes fizeram com que a imagem de Dilma ficasse melhor entre os eleitores.

Além disso, conheço uma pessoa que votou em Serra em 2010, mas aprovou o primeiro ano do Governo Dilma e deve votar nela em 2014, segundo ele, por causa do jeito coerente dela de administrar.

De fato, as demissões de pessoas envolvidas em supostos esquemas de corrupção fizeram com que Dilma desse à população uma sensação de pulso firme. Para muitas pessoas com quem conversei, Lula tinha um jeito “paizão” e não tomava as medidas necessárias contra aliados políticos. “Dilma não deixa passar nada!”. É isso que ouço em conversas.

A nomeação de Marco Antônio Raupp (Ciência e Tecnologia) e Paulo Sérgio Passos (Transportes), por exemplo, mostram que ela está mais preocupada com o desenvolvimento destes setores do que com o apoio político dos partidos “donos” destas pastas desde a gestão anterior.

Dilma ainda tem três anos pela frente e não será fácil governar o país. Mas se o Executivo continuar no mesmo ritmo em que está, a oposição vai ter que se reorganizar para que a petista não seja reeleita.

Até a próxima!