Arquivos do Blog

PSB rebate críticas do PT a Eduardo Campos

Filipe Matoso

Após o PT ter publicado um texto no qual criticou o presidente do PSB, Eduardo Campos, a legenda do governador de Pernambuco decidiu rebater as críticas. Em nota, a sigla de Campos afirmou que os ataques representam “desespero” da direção do PT em razão de o PSB ter candidato próprio nas eleições presidenciais deste ano – Campos é o pré-candidato do partido.

“Fica evidente o desespero da direção do Partido dos Trabalhadores frente à discussão democrática do PSB em ter candidato próprio à Presidência da República em 2014. Tal desespero só demonstra a força das ideias e do debate que o PSB está propondo, sendo a real alternativa para que o Brasil avance nas mudanças que o povo brasileiro clama e precisa”, diz a nota.

Eduardo Campos rompeu com o governo Dilma Rousseff em setembro do ano passado, quando entregou os cargos que o PSB ocupava na administração federal, “em face da possibilidade de, legitimamente, poder apresentar candidatura à Presidência em 2014”, segundo carta entregue na ocasião pelo governador à presidente.

No texto do PT, intitulado “A balada de Eduardo Campos”, o partido classificou o governador como “tolo” e “playboy mimado”, além de fazer outras críticas.

Até a próxima!

Anúncios

Álvaro Dias diz que governo ‘blindou’ ida de ex-chefe de gabinete da Presidência ao Senado

Filipe Matoso

O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias, criticou nesta terça-feira (27) a decisão da Casa de suspender as convocações da ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, e do ex-advogado-geral-adjunto da União, José Weber Holanda. Para o parlamentar, o governo federal “blindou” a presença de dois dos personagens centrais envolvidos em um suposto esquema de corrupção.

De acordo com a Polícia Federal, o grupo, formado por inúmeras pessoas, agia em diversos órgãos públicos federais e em agências reguladoras fornecendo pareceres de forma ilícita.

“O governo não quer ouvir os diretamente envolvidos. Prefere ouvir ministros que, certamente, nada dirão.  Não há objetividade nessas audiências, quando o envolvido diretamente não é chamado”, disse.

Senado quer ouvir envolvidos na operação Porto Seguro

“O governo pretende impor à opinião pública brasileira a visão de que está promovendo uma faxina, através da mistificação, da manipulação dos fatos e das informações, sobretudo da estratégia que se adota para selecionar eventuais alvos que possam ser atingidos nessa fase de denúncia e de investigação e poupar aqueles que querem preservar a qualquer preço”, completou Álvaro Dias.

Até a próxima!

Presidente do PSDB faz críticas aos trabalhos da CPI do Cachoeira

Filipe Matoso

O presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), criticou nesta sexta-feira (23) a CPI do Cachoeira. O parlamentar afirmou em nota que há uma “ação deliberada” nos trabalhos da comissão contra o governador de Goiás, o também tucano Marconi Perillo, que é suspeito de ter envolvimento com o bicheiro, que agora está em liberdade.

“O relatório final apresentado é uma colcha de retalhos na qual fica reproduzida uma ação deliberada contra o PSDB e o governador Marconi Perillo, em meio à proteção dos verdadeiros envolvidos no escândalo, que começa no contraventor Carlos Cachoeira e avança para as múltiplas intervenções da Construtora Delta pelo Brasil afora”, afirmou.

Além das críticas à CPI, Sérgio Guerra disse que os trabalhos da CPI comprometem a imagem do Congresso Nacional. “Na verdade, o desfecho do trabalho desta CPI só fez comprometer ainda mais a imagem do Congresso Nacional e ampliar o reconhecimento público de que o Legislativo não agiu de maneira competente e republicana”, completou.

Relatório final

O presidente do PSDB criticou, ainda, o relatório formulado por Odair Cunha (PT-MG). “Mas é claro que esse relatório nada mais é do que um produto da ação do Partido dos Trabalhadores (PT) para se defender do seu amplo comprometimento com o mensalão e do receio de que a investigação da CPI do Cachoeira pudesse chegar até o campo do maior contratante da Construtora Delta: o governo federal”, disse.

Até a próxima!

Marco Maia critica adiamento da votação do Marco Civil da Internet

Agência Brasil

A Câmara dos Deputados adiou pela quinta vez a votação do projeto de lei que cria o Marco Civil da Internet. Nesta terça (20), os deputados não chegaram a um acordo que viabilize a aprovação do texto do relator, deputado Alessandro Molon (PT-RJ).

Com a obstrução, a sessão foi encerrada por falta de quórum. O presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), disse que o projeto deve entrar na lista de propostas que ele entende que o “plenário não quer votar”.

Até a próxima!

Políticas de austeridade não são a melhor resposta para enfrentar a crise, afirma Dilma

Filipe Matoso

Presidente Dilma durante a conferência/ foto: Roberto Stuckert Filho - PR / blogdofilipe.com

Presidente Dilma durante a conferência/ foto: Roberto Stuckert Filho – PR

A presidente Dilma Rousseff afirmou neste sábado (17) em Cádiz, na Espanha, na Cúpula Ibero-americana, que políticas de austeridade implementadas por alguns países europeus não são a melhor resposta para enfrentar a crise.

“Temos assistido, nos últimos anos, aos enormes sacrifícios por parte das populações dos países que estão mergulhados na crise. Reduções de salários, desemprego, perda de benefícios. As políticas exclusivas de austeridade vêm mostrando seus limites”, disse, conforme nota publicada pelo Planalto.

No discurso, Dilma afirmou ainda que o Brasil entende que a consolidação fiscal “exagerada” não é a melhor resposta para a crise mundial e pode, inclusive, agravá-la, causando recessão. Segundo ela, “sem crescimento será muito difícil a consolidação fiscal e os ajustes serão cada vez mais onerosos do ponto de vista político e social”.

“O que temos visto são medidas que, apesar de afastarem o risco de uma quebra financeira, não afastam a desconfiança dos mercados e, mais importante ainda, não afastam a desconfiança das populações”, afirmou.

Até a próxima!

Associação de juízes elogia STF e rebate acusações do PT

Filipe Matoso

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) divulgou uma nota nesta sexta-feira (16) na qual elogiou a atuação dos ministros do STF no processo do Mensalão. A entidade ainda rebateu as acusações do PT de que a Corte teria feito um julgamento político ao afirmar que tratou-se de um “julgamento técnico”, com os votos baseados em aspectos “fáticos e jurídicos”.

“O julgamento da AP 470 pauta-se pelo respeito aos princípios constitucionais garantidores de um processo penal justo, especialmente o contraditório e a ampla defesa”, publicou a nota.

E outras críticas são feitas ao PT. “A irresignação quanto às penas que vêm sendo aplicadas é perfeitamente compreensível dentro do contexto e, por essa razão, a crítica do PT deve ser recebida como expressão de inconformismo, no exercício da liberdade de expressão. Nada mais do que isso”, publica a Ajufe.

Entre os demais pontos abordados, a associação “destaca” o número de ministros nomeados pela presidente Dilma e pelo ex-presidente Lula, “o que comprova a independência desses ministros em relação a quem os nomeou”.

“A independência da magistratura é garantia fundamental do Estado Democrático e os ministros do STF deram mostras disso, honrando o Poder Judiciário brasileiro”, diz a nota.

Por fim, a associação afirma que não há espaço para a “politização da matéria”.

PT divulga nota sobre o julgamento Mensalão e critica STF

Presidente do PT diz estar ‘indignado’ com condenações de Dirceu, Genoino e Delúbio

Até a próxima!

Aécio Neves mira movimentos sociais

Filipe Matoso

Senador Aécio Neves/ foto: Antonio Cruz - ABr / blogdofilipe.com

Senador Aécio Neves/ foto: Antonio Cruz – ABr

Um dos nomes com mais destaque nas eleições municipais deste ano, o senador tucano Aécio Neves (MG) disse nesta quarta-feira (14) que o PSDB precisa intensificar a relação com os movimentos sociais.

“Eu defendo que o PSDB ouse, dialogue com os movimentos sociais, com a sociedade, com os movimentos sindicais e as entidades estudantis. O PSDB tem autoridade para dialogar com estes setores e, a partir da renovação do seu programa partidário, apresentar-se com uma identidade mais próxima da população brasileira”, disse, conforme nota publicada pelo PSDB.

Considerado por membros do partido uma das principais alternativas à disputa presidencial de 2014, o senador criticou o governo federal.

“Claramente, milhões de brasileiros desejam um projeto alternativo ao que está aí. Por isso, disse não nas urnas aos candidatos que significavam a submissão aos interesses de um projeto de poder que está em curso no Brasil”, completou.

Até a próxima!

PT divulga nota sobre o julgamento do Mensalão e critica STF

Filipe Matoso

O PT divulgou uma nota nesta quarta-feira (14) sobre o julgamento do Mensalão no Supremo Tribunal Federal e criticou, de um modo geral, a atuação dos ministros. Para o partido, a Corte realizou um julgamento político.

O presidente da legenda, Rui Falcão, chegou a dizer que a Jusitça se deixou levar por pressões externas e disse estar “indignado” com as penas aplicadas aos membros da sigla.

“[O STF] fez política ao definir o calendário convenientemente coincidente com as eleições. Fez política ao recusar o desmembramento da ação e ao escolher a teoria do domínio do fato para compensar a escassez de provas”, publicou o PT.

José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares foram condenados pelo envolvimento com o esquema de corrupção.

O partido informou ainda entender que o Supremo não garantiu o direito amplo de defesa aos réus do processo.

“O STF negou aos réus que não tinham direito ao foro especial a possibilidade de recorrer a instâncias inferiores da Justiça. Suprimiu-lhes, portanto, a plenitude do direito de defesa, que é um direito fundamental da cidadania internacionalmente consagrado”, afirma o PT.

Em relação à imagem do ex-presidente Lula, a nota assinada pela executiva nacional da legenda afirma que tentaram manchar a imagem dele.

“Alguns ministros procuraram adequar a realidade à denúncia do Procurador Geral [Roberto Gurgel], supostamente por ouvir o chamado clamor da opinião pública, muito embora ele só se fizesse presente na mídia de direita, menos preocupada com a moralidade pública do que em tentar manchar a imagem histórica do governo Lula, como se quisesse matá-lo politicamente”, diz a nota.

E não faltaram críticas à atuação de Gurgel na ação penal. “O procurador não escondeu seu viés de parcialidade ao afirmar que seria positivo se o julgamento interferisse no resultado das eleições”, completa o partido.

Leia a íntegra da nota

Até a próxima!

Pedro Taques critica CPI do Cachoeira

Filipe Matoso

 A CPI do Cachoeira aprovou o adiamento da votação dos 533 requerimentos que estavam na pauta desta quarta-feira (31).

 “Esta CPI está descendo ladeira abaixo. Vamos quebrar o sigilos das empresas fantasmas ligadas a Delta? Se não, podemos encerrar essa Comissão”, disse o senador Pedro Taques (PDT).

 “A CPI está jogando esta podridão para debaixo do tapete”, completou.

 A próxima reunião da comissão será na próxima semana.

Até a próxima!

Senador Rollemberg critica governo do Distrito Federal

Filipe Matoso

Rodrigo Rollemberg/ foto: Antonio Cruz - ABr

Rodrigo Rollemberg/ foto: Antonio Cruz – ABr

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB) criticou nesta terça-feira (18) a decisão do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), de destinar recursos do Fundo de Apoio à Cultura a projetos sem ligação com o incentivo ao setor artístico. Segundo o parlamentar, os recursos poderiam sem empregados em atividades financiadas com recursos orçamentários, como festas de Natal, Carnaval e aniversário de Brasília.

Segundo informou o Senado, artistas e produtores culturais que participaram de audiência pública sobre o tema disseram que seriam retirados R$ 13 milhões dos R$ 44 milhões previstos para 2012.

Vale lembrar que o PT e o PSB tiveram muitas divergências neste ano em razão das eleições municipais. Os embates entre os partidos surgiram, principalmente, em Belo Horizonte e Recife.

“Eu não posso concordar com a retirada de recursos do Fundo de Apoio à Cultura para financiar essas atividades porque isso significaria um enorme retrocesso em relação aos recursos para o financiamento da cultura no Distrito Federal”, afirmou.

“Ora, o mesmo governo que está desperdiçando a oportunidade de buscar recursos públicos federais, destinados por [emendas de] inúmeros parlamentares da bancada do Distrito Federal, quer retirar recursos do Fundo de Apoio à Cultura”, completou Rollemberg.

Nova chefia

Na semana passada, Marta Suplicy (PT) assumiu o Ministério da Cultura, no lugar de Ana de Hollanda. De acordo com a assessoria da pasta, o orçamento da Cultura em 2013 será de aproximadamente R$ 5 bilhões. Conforme reportagem do “G1”, ao ser questionada sobre a mudança, Ana disse a jornalistas no Palácio do Planalto que perguntassem à presidente Dilma Rousseff os motivos da troca.

“Ninguém tinha me avisado que eu ia sair, mas eu sempre soube que o convite meu foi um convite muito pessoal da presidenta e eu tenho uma gratidão, uma fidelidade porque ela que está fazendo acontecer”, afirmou.

Até a próxima!